Fale ConoscoMapa do SitePágina Principal
Página Principal Sobre o CHCM Equipe Informações para Doadores Informações para Pacientes Informações para Médicos Acontece/Notícias Links
Centro de Hemoterapia Celular em Medicina | Informações para Médicos | Protocolo de indicações transfusionais
Ao Medico
Protocolo de indicações transfusionais
Protocolo de autotransfusão
Como solicitar transfusão e reserva cirúrgica
Procedimentos Especiais:
> aférese
> transfusão intra-uterina
hoje:
Informações para Médicos

Protocolo de indicações transfusionais
Definições:

- Hemocomponentes: Produtos obtidos do sangue total humano, produzido através de processos físicos. São: Concentrado de Hemácias (CH), Concentrado de Plaquetas (CP) (convencional e aféreses), Plasma Fresco Congelado (PFC), Plasma Isento de Crioprecipitado (PIC), Crioprecipitado (Crio), Concentrado de Granulócitos, entre outros.

- Hemoderivados: Produtos obtidos do sangue humano, produzidos através de processos físicos e químicos. São: Concentrado de Albumina, Imunoglobulinas, Concentrados de Fatores de Coagulação (Fator VIII, IX, CP, CPPA, etc), entre outros.

Indicações:

Princípios Básicos:
- Transfundir somente o que o paciente necessita. Praticamente não há mais indicação para sangue total;
- O critério mais adequado para se transfundir um paciente deve ser o clínico, avaliando-se o risco-benefício do ato transfusional;
- A transfusão sangüínea NÃO é um procedimento isento de riscos, e é de responsabilidade MÉDICA, devendo ser realizada somente quando houver respaldo clínico e científico que a justifique;
- Desvios protocolares ou situações que não constem nessa padronização, deverão ser discutidos individualmente para a sua aprovação.

a. Concentrado de hemácias:

Objetivo:
Restabelecer a capacidade de transporte de oxigênio em pacientes anêmicos.

Indicações:
- Hemorragias agudas:
- Perda sangüínea estimada superior a 30% da volemia, mesmo sem queda aguda dos níveis de hemoglobina e/ou superior a 10 ml/Kg em 1 hora.
Critérios hematimétricos:
- Ht<21% e/ou Hb<7,0g/dl, com anemia aguda ou crônica, mesmo sem sinais de hipóxia;
- Ht<27% e/ou Hb<9,0g/dl em pacientes com:
- Ateriosclerose cardiovascular com ou sem angina;
- Doença pulmonar aguda ou crônica, com pO2<80mmHg;
- Isquemia tecidual aguda.
Dose: 10 a 20 ml/kg, ou dependendo do quadro clínico, níveis de Hb, velocidade de sangramento, etc.

b. Concentrados de hemácias modificados:

b.1. Lavados:
- Deficiência Seletiva de IgA;
- História de reação urticariforme em transfusão anterior;
- História de reação febril não hemolítica em doação anterior.

b.2. Deleucotizados ou Filtrados:
- Necessidade de profilaxia da sensibilização a antígenos leucoplaquetários, como pacientes portadores de anemia aplástica, IRC candidatos a transplante de rim, hemoglobinopatias em transfusão regular (talassêmicos, falciformes, entre outros), candidatos potenciais a TMO, etc;
- Pacientes com história de reação febril não hemolítica mesmo com CH lavados recebidos anteriormente;
- Pacientes CMV negativos;

b.3. Irradiados:
- Indicações Absolutas:
- Imunodeficiências congênitas do tipo celular;
- Transfusões intra-uterinas;
- Transfusões e Exsangüíneo-transfusões em RN prematuros (< 28 semanas e/ou <1500g);
- Transfusões em pacientes em TMO;
- Anemia aplástica grave em uso de soro anti-linfocítico;
- Transfusão de componentes obtidos de parentes de primeiro grau.
- Indicações Relativas:
- Pacientes em quimioterapia citotóxica;
- Pacientes pós transplante de órgãos sólidos;
- Pacientes em uso de drogas imunossupressoras potentes;

b.4. Fenotipados:
- Pacientes em uso crônico de transfusão: talassêmicos, anemia falciforme, anemia aplástica, mielodisplasias, etc;
- Pacientes alo-imunizados anteriormente.

c. Plasma e Derivados:
- Objetivos: Preservar o efeito oncótico do sangue, corrigir deficiências de fatores de coagulação, preservar defesa imunológica humoral.

c.1. Plasma Fresco Congelado:
Indicações:
- Reposição de fatores de coagulação em deficiências com manifestação hemorrágica (insuficiência hepática, coagulação intravascular disseminada, transfusão maciça);
- Nas dificuldades de se obter fatores de coagulação sangüíneos purificados para reposição (Fatores V, VII e IX);
- Intoxicação por dicumarínicos;
- Deficiência de Anti-trombina III;
- Púrpura trombocitopênica trombótica;
- Preparo de cirurgias em pacientes com alterações significativas no coagulograma.
Dose: 10 a 20 ml/Kg, de 1 a 4 vezes ao dia, pelo tempo necessário.

c.2: Plasma isento de Crioprecipitado:
Indicações:
- Reposição volêmica exclusivamente nos casos refratários ao uso de grande quantidade de cristalóides ou repositores sintéticos do plasma;
- Reposição em paracenteses volumosas;
- Choques hemorrágicos.
Dose: 10 a 20 ml/Kg, de 1 a 4 vezes ao dia, pelo tempo necessário.

c.3. Crioprecipitado:
Indicações:
- Reposição de Fator VIII, Fator de Von Willebrand ou Fator XIII, somente quando o concentrado purificado não estiver disponível;
- Reposição de fibrinogênio em pacientes com hemorragia e déficit congênito ou adquirido deste fator (dosagem < 100 mg%);
- Reposição em pacientes com CIVD;
Dose: 1 Unidade para cada 5 a 10 Kg 1 a 2 vezes ao dia, conforme necessidade clínica.

c.4. Albumina Humana:
Objetivo: Manutenção da pressão coloidosmótica do plasma.
Indicações:
- Pacientes portadores de síndrome nefrótica, insufuciência hepática, enteropatias perdedoras de proteínas, e grandes queimados, QUANDO: houver comprometimento hemodinâmico por hipoproteinemia aguda, definido por: hipotensão, choque, oligúria, etc. e/ou albumina sérica abaixo de 2g/dl.
Dose: 1 a 2 frascos, EV em 30 a 60 minutos, 1 a 3 vezes ao dia, conforme necessidade e tolerância clínica.

d. Concentrados Plaquetários:
Objetivos: Reposição em plaquetopênicos por déficit de produção ou em transfusão maciça.
Indicações:
- Falência medular em vigência de sangramento, como na anemia aplástica, mielodisplasia, pós-quimioterapia ablativa, anemia megaloblástica;
Baseado na contagem plaquetária:
- Contagem plaquetária < 10000/mm3, mesmo sem fatores de risco;
- Contagem plaquetária < 20000/mm3, em presença de fatores de risco: esplenomegalia, febre, sepsis, medicações específicas (ex: globulinas anti-linfocíticas, anfotericina, etc), GVHD, entre outros;
- Contagem plaquetária < 30000/mm3, em pequenos procedimentos cirúrgicos, como biópsia, intracath, coleta de LCR, entre outros;
- Contagem plaquatária < 50000/mm3, em procedimentos cirúrgicos de médio e grande porte;
- Contagem plaquetária < 100000/mm3, em neurocirurgias e pós procedimento com circulação extra-corpórea.
Em pacientes com consumo periférico de plaquetas:
- Somente transfundir plaquetas se houver sangramento com risco de vida.
Transfusão maciça:
- Considerar a contagem plaquetárica como acima, considerando sangramentos ou alteração da hemostasia.
Dose: 1 Unidade para cada 10 Kg, 1 a 2 vezes ao dia, conforme necessidade clínica. O paciente deve ser reavaliado antes de cada transfusão. Um concentrado de plaquetas obtido por aféreses, corresponde de 6 a 8 unidades de plaquetas convencionais, para efeito de cálculo de dose.

Obs: O uso de concentrado de plaquetas modificado (irradiados, deleucotizados e filtrados) deve seguir as mesmas recomendações dos concentrados de hemácias modificados.




© Copyright 2006 CHCM. Todos os direitos reservados
Rua Onze de Agosto nº 415 Centro - Campinas - CEP 13013100 - Tel.: (19) 3734-3193 - 3734-3067 - Fax 3231-0925.